Artigos em Revistas – 2016

  • Caetano, A., Freire, I., Simão, A., Martins, M.J. & Pessoa, T. (2016). Emoções no cyberbullying: um estudo com adolescentes portugueses. Educação e Pesquisa, v. 42, n. 1, p. 199-212, mar. 2016. http://dx.doi.org/10.1590/S1517-9702201603138125
  • Cardoso T. & Filomena Pestana F. (2016). A wikipédia como recurso educacional aberto: contributos para a compreensão do programa wikipédia na universidade, um fenómeno digital glocal.  Edição Especial: Investigar em Educação/Mundo digital e educação. Editora: SPCE, 6 (2).
  • Costa, S., Gomes, A., & Pessoa, T. (2016). Using Scratch to teach and learn english as a foreign language in elementary school. International Journal of Education and Learning Systems, v. 1, p. 207-213.
  • Freire, M. F., Amante, L. (2016). Os bastidores da escrita a distância de textos em coautoria: um estudo no contexto da Universidade Aberta de Portugal (UAb) Revista educação, formação & tecnologias, Educom, 9 (2), 21-66.
  • Gomes, J., Figueiredo, M. J.G., Amante, L., & Gomes, C. (2016). Augmented Reality in informal learning environments: A Music History Exhibition. International Journal of Creative Interfaces and Computer Graphics, 7 (2), 39-55.
  • Issa, T. & Isaias, P. (2016). Internet Factors Influencing Generations Y and Z in Australia and Portugal: A Practical Study. Information Processing & Management 52(4), July 2016, p. 592-617.  http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0306457315001430
  • Matos, A.P.M, Vieira, C., Amado, J., Pessoa, T. & Martins, M.J. (2016). Cyberbullying in Portuguese Schools: prevalence and characteristics. Journal of School Violence, v. 0 (0), p. 1-15.  http://dx.doi.org/10.1080/15388220.2016.1263796
  • Monnerat, J., Pessoa, T., & Ferreira, J.A.. (2016). Autorregulação da Aprendizagem na Educação a Distância – Análise das Produções Científicas Realizadas em Brasil e Portugal no Período de 2010 a 2015. Revista Científica em Educação a Distância vol. 6 (2), pp. 218-233. doi: 10.18264  [www.eademfoco.cecierj.edu.br ]
  • Monteiro, A.; Moreira, J.A. & LEITE, C. (2016). O eLearning em estabelecimentos prisionais: possibilidades e limites para a inclusão digital e justiça social. Revista Diálogo Educacional, 16 (47), 77- 102. http://www2.pucpr.br/reol/pb/index.php/dialogo?dd1=16098&dd99=view&dd98=pb; DOI: 10.7213/dialogo.educ.16.047.DS04
  • Moreira, J. (2016). Cenários Inovadores em (Blended) eLearning na Sociedade Digital: O Curso de Formação para a Docência Online da Universidade Aberta. EmRede, 2 (2) 7-16. http://www.aunirede.org.br/revista/index.php/emrede/article/view/50     
  • Nobre, A., Mallmann, E. (2016). Recursos Educacionais Abertos: transposição didática para transformação e coautoria de conhecimento educacional em rede.  Indagatio Didactica8 (2), julho 2016.
  • Oliveira I. & Courela, C. (2016). Práticas de liderança em contextos online: Um estudo de caso. RENOTE, CINTED – Universidade Federal do rio Grande do Sul, 14 (1), 1-10.
  • Paz, J. & Pereira, A. (2016).  Regulation of Learning as Distributed Teaching Presence in the Community of Inquiry Framework.  International Journal for Educational Media and Technology, 10 (2), 52-60. http://jaems.jp/contents/icomej/icomej.html.
  • Pedras, S.; Seabra, F. (2016). Supervisão e Colaboração: contributos para uma relação. Edição Especial: Revista Transmutare , 1 (2), 293-312.  https://periodicos.utfpr.edu.br/rtr
  • Santana, M.L., Purificação, M., Teperino, A.P., Taceli, I. &, Pessoa, T. (2016). O brincar como elemento de inclusão de crianças caracterizadas com transtornos do espectro autista. Interfaces da Educação, vol. 7 (19), pp. 48-65
  • Seco, C., & Quintas-Mendes, A. (2016). OpenStax Connexion versus Wikilibros: Análise comparativa de plataformas de suporte a livros abertos. Education In The Knowledge Society (EKS), 17(4), 53-74. doi:10.14201/eks20161745374